terça-feira, 15 de outubro de 2013

SIMULADINHO DE LÍNGUA PORTUGUESA

No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra. 
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.
Carlos Drummond de Andrade 
Fonte: Disponível em: http://www.passeiweb.com .
Acesso em 28 jul. 2011.
01. Pela forma de apresentação e disposição das linhas, esse texto é classificado como
     (A) um relato.                                        (C) um soneto.
     (B) um poema.                                      (D) um depoimento.

02. O motivo que justifica a repetição da expressão “no meio do caminho tinha uma pedra” é o fato de o autor
     (A) mostrar sua experiência como trabalhador de pedreira.
     (B) usar uma linguagem informal para se aproximar do povo.
     (C) desconhecer sinônimos para as palavras “pedra” e “caminho”.
     (D) considerar a pedra como frequentes obstáculos a serem superados na  vida.

03. Em “minhas retinas tão fatigadas ” a palavra destacada está empregada no  texto  com sentido de
     (A) irritadas.                                            (C) cansadas.
     (B) delicadas.                                          (D) machucadas.

Leia o texto a seguir para responder as questões 4, 5 e 6. 
Enchente isola cidade e deixa 600 desabrigados no
Vale do Ribeira

DE SANTOS - As chuvas fortes na região do Vale do Ribeira, no interior de São Paulo, desde a
manhã de ontem, elevaram o nível do rio Ribeira de Iguape em quase 12 metros, deixaram quase
600 pessoas desabrigadas na região e isolaram o município de Ribeira. Não houve registro de
mortes. Ontem, os acessos à cidade, tanto pelo Estado de São Paulo quanto pelo Paraná,
estavam interditados, segundo a Defesa Civil municipal. As cerca de cem pessoas atingidas na cidade
foram abrigadas em um ginásio. No município de Itapirapuã Paulista, ocorreram deslizamentos de
encostas. A Defesa Civil local iniciou a retirada de famílias das áreas de risco. 
Fonte: Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff0208201120.htm . Acesso em: 02
ago 2011.

04. Considerando os aspectos formais do texto, pode-se classificá-lo como
      (A) uma notícia.  (B) uma carta.  (C) um relato.  (D) um aviso.

05. Em “ Os acessos à cidade (...) estavam interditados ”, a palavra destacada é entendida como
     (A) liberados.   (B) fechados.   (C) alagados.   (D) facilitados.

06. Ao escrever o texto, o autor usa uma linguagem formal para
     (A) adequá-la ao meio de comunicação utilizado.
     (B) reproduzir o próprio jeito de falar.
     (C) provar que é diferente do leitor.
     (D) revelar intimidade com o leitor.

Leia a crônica a seguir para responder as questões 7 e 8. 
ENTRE AMIGOS.

Para que serve um amigo? Para rachar a gasolina, emprestar a prancha, dar carona
pra festa, segurar a barra. Todas as alternativas estão corretas, porém isso não
basta para guardar um amigo do lado esquerdo do peito. (...) Um amigo não racha
apenas a gasolina: racha lembranças, experiências. Racha a culpa, segredos. Um
amigo não empresta apenas a prancha. Empresta o verbo, o ombro, o tempo, o
calor e a jaqueta. (...) Um amigo não dá carona apenas pra festa. Te leva pro mundo
dele, e topa conhecer o teu. (...) Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a
mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o
elevador. Duas dúzias de amigos assim ninguém tem. Se tiver um, amém.
Fonte: MEDEIROS, Marta. Entre amigos . Disponível em: Http://sitenotadez.net/cronicas/ . Acesso em 28 jul. 2011. (com cortes)

07. No texto, a expressão “segura o tranco” adquire o significado de
      (A) propor um acordo.                                  (C) dar uma bronca.
      (B) fracassar na vida.                                   (D) servir de apoio.

08. Ao utilizar uma linguagem informal no trecho “Um amigo não segura a barra, apenas.”, a autora demonstra
      (A) intimidade com os leitores.
      (B) ausência de criatividade no uso da língua.
      (C) dificuldade de saber quem são os leitores.
      (D) falta de conhecimento da linguagem usada pelos leitores.

Leia o trecho do poema “Trem de Alagoas”, de Ascenso Ferreira, para responder a
questão 9.
Mergulham mocambos,               Fonte: Cadernos de apoio e aprendizagem: 
nos mangues molhados,              Língua Portuguesa. São Paulo: Fundação Padre
moleques, mulatos,                      Anchieta, 2010. nono ano, v. 1.
vem vê-lo passar.
- Adeus!
- Adeus!
Mangueiras, coqueiros,
cajueiros em flor,
cajueiros com frutos
já bons de chupar...
- Adeus, morena do cabelo cacheado!

No poema, a repetição do M ajuda a
(A) construir a rima.                               (C) treinar o som da letra M.
(B) memorizar o texto.                           (D) valorizar a musicalidade do POEMA.

Leia os dois textos a seguir.
  Texto I
A revolução do internetês 

  Vc jah viu exe tipo de texto? Pois eh, ixo eh o internetes... ou melhor, o
internetês. Essa forma de expressão explodiu principalmente entre adolescentes que
passam horas na frente do computador no Orkut, em chats , blogs e comunicadores
instantâneos em busca de interação - e de forma dinâmica. 
No Brasil, um batalhão de 15 milhões de usuários troca 500 milhões de
mensagens por dia por meio do Messenger (MSN).
Integrados à tecnologia e com acesso fácil a computadores e conexões de
banda larga (62% dos nossos internautas a usam), os jovens buscam respostas
rápidas, proximidade com seus interlocutores e nutrem a expectativa de aproveitar
cada momento de diversão. A ansiedade por contato teria estimulado, assim, o
hábito de escrever mensagens e a busca de novas formas de expressão ligeira e
funcional. No pacote, vieram à simplificação da linguagem e a farta eliminação de
vogais.
Fonte: Disponível em:http://revistalingua.uol.com.br/textos.asp?codigo=11061 . Adaptado. Acesso em 29 jul. 2011
Texto II

Redação deixa 65% abaixo da média no Enem Maioria das escolas obteve nota de redação menor que a média nacional; “internetês” é um dos vilões 
Dados do Enem 2009 mostram que 65,9% das escolas de Ribeirão Preto tiveram nota de redação abaixo da média nacional. De acordo com especialistas, a falta de leitura, o baixo interesse pelo noticiário e a influência do “internetês” (a linguagem da internet) podem ter contribuído para o desempenho fraco. Sobre a influência da linguagem da internet, o professor de redação Luiz Cláudio Jubilato, afirma que não se pode mais fugir da rede e que o importante é “saber separar as coisas e ter consciência de que se trata de linguagens diferentes”. Já a professora doutora Rosa Maria Manzoni, do Departamento de Educação da Unesp de Bauru, também afirma que os estudantes precisam estar preparados para lidar com variados tipos de texto, que vão da internet à redação. Fonte: Disponível em: http://quemtemmedodeportugues.wordpress.com/2010/08/03/redacao-deixa- 65-abaixo-da-media-no-enem/ Adaptado. Acesso em 29 jul. 2011.

10. O que os dois textos têm em comum é (são)
      (A) o tema “Internetês”.               (C) as expressões usadas pelos internautas.
      (B) a linguagem formal aplicada. (D) o uso das redes sociais.

DESCRITORES TRABALHADOS
01.
02.
03.
04.
05.
06.
07.
08.
09.
10.
D9
D19
D3
D9
D3
D13
D3
D13
D19
D20


GABARITO
01. B; 02. D; 03. C; 04. A; 05. B; 07. D; 08. A; 09. D; 10. A.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado a todos que passarem por esse blog e deixar seu recadinho.